Foi publicada em Edição Extra no DOU de 05/11/2015 a Portaria Conjunta MF/MPTS nº 866/15, que prorroga para até o último dia útil de novembro de 2015 , ou seja, até 30/11/2015, por motivo de força maior, o recolhimento mensal da competência de outubro de 2015, originalmente previsto para até 06/11/2015, referente ao Regime Unificado de Pagamento de Tributos, de Contribuições e dos Demais Encargos do Empregador Doméstico (Simples Doméstico).

 

Fonte: CENOFISCO

 Publicada em 28.10.2015

Por meio da norma em referência, foram fixados os critérios sobre a contingência do recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), para o contrato de trabalho doméstico, considerando a obrigatoriedade da inclusão a partir da competência 10/2015.

Assim, na impossibilidade de utilização do eSocial para realização do recolhimento unificado, devido pelo empregador doméstico, a Caixa Econômica Federal (Caixa) acatará o recolhimento específico do FGTS por meio da GRF Internet Doméstico disponível no portal eSocial (www.esocial.gov.br).

O recolhimento específico do FGTS viabilizará o recolhimento mensal das seguintes parcelas incidentes sobre a folha de pagamento:

a) 8% de recolhimento para o FGTS; e

b) 3,2% destinada ao pagamento da indenização compensatória da perda do emprego, sem justa causa, por culpa recíproca.

Os depósitos do FGTS definidos nas letras “a” e “b” incidem sobre a remuneração paga ou devida no mês anterior, a cada empregado, incluída a remuneração do 13º salário correspondente à gratificação de natal, observadas as demais orientações contidas na Circular Caixa nº 694/2015, inclusive quanto a data de vencimento que ocorre até o dia 7 do mês seguinte ao da competência, relativamente aos fatos geradores ocorridos no mês anterior, é antecipada para o dia útil imediatamente anterior na hipótese em que não houver expediente bancário no dia 07.

Nas rescisões de contrato de trabalho do trabalhador doméstico, o empregador deve observar que, para recolhimento rescisório referente às rescisões ocorridas até a disponibilização do evento de desligamento e DAE Rescisório, utilizará a GRRF Internet Doméstico no portal eSocial (www.esocial.gov.br), verificando as demais orientações de geração da GRRF contidas no Manual de Orientação ao Empregador - Recolhimentos Mensais e Rescisórios ao FGTS e das Contribuições Sociais, disponível no endereço www.caixa.gov.br, download, FGTS - Manuais Operacionais, e na Circular Caixa nº 694/2015, inclusive quanto à data de vencimento.

(Circular Caixa nº 696/2015 - DOU 1 de 28.10.2015)

Fonte: Editorial IOB

sucesso3

1. Ler: A leitura é um dos bens mais preciosos que podemos ter. Por meio dos livros mergulhamos em mundos diferentes, despertamos sentimentos, apuramos nosso senso crítico. Mas não pare nos livros: leia revistas, artigos da internet, receitas culinárias, manuais de instrução e o que mais estiver ao seu alcance;

2. Fazer programas culturais: Você está muito enganado se acha que não aprende nada indo ao cinema, teatro, museu, exposições de artes e outros lugares interessantes. A relação com esses universos faz nossa imaginação voar. Ter contato com o novo é essencial para que possamos ir além de nossos limites;

3. Criar um banco de ideias: Quantas ideias passam pela sua cabeça durante o dia? Você pode não perceber, mas muitas! Então, para não perdê-las, coloque-as em uma planilha. Esse registro já será um exercício de criatividade. A partir das ideias iniciais outras começarão a surgir e quando você menos esperar terá dezenas de novas possibilidades para os negócios;

4. Compartilhar, trocar experiências: Seja um interessado pelo ser humano. Converse com o pessoal da empresa, seja lá qual cargo cada um ocupa. Ouça sua opinião e valorize sua participação. Quanto mais a gente se relaciona, mais a gente cresce.

fonte: http://bobsoftware.com.br/4-atitudes-para-desenvolver-seu-lado-criativo/

O Fisco paulista divulgou nova disciplina, aplicável a contar de 21.10.2015, para aplicação da redução da base de cálculo na prestação de serviços de telefonia fixa para empresas de call center, que executam os seguintes serviços terceirizados:

a) atendimento ao consumidor;

b) televendas;

c) agendamento de visitas;

d) pesquisa de mercado;

e) cobrança;

f) help desk; e

g) retenção de clientes.

Também foi revogada a Portaria CAT nº  65/2005 , que dispunha sobre o assunto.

(Portaria CAT nº  130/2015  - DOE SP de 21.10.2015)

 

 

Fonte: Editorial IOB

Fonte: Gallo Consulting.

Ter um negócio significa ter que desenvolver mil braços. Principalmente no início, os micros e pequenos empreendedores precisam assumir várias frentes a fim de garantir seu correto andamento da empresa. Além do mais, o número reduzido de funcionários colabora para essa situação.

Bom, é claro que determinadas questões são mais delicadas e, por que não dizer, mais chatas mesmo? Nem todo mundo tem afinidade com todas as áreas da organização. Isso é normal! “Anormal” é não se empenhar ou ignorar determinados conteúdos quando, no fundo, está claro qual será o resultado e quem vai se ferrar no final da história

A questão do dinheiro, por exemplo, ou melhor, da gestão financeira: conheço muitos novos empreendedores que nem sonham com os cuidados, contas e controles básicos necessários para manter uma empresa funcionando saudavelmente. É preocupante, pois mais cedo ou mais tarde eles terão de lidar com uma dura realidade, a realidade das contas, das cobranças e dos prejuízos. É melhor se preparar primeiro, estudar, enfrentar os “medos” e as disciplinas menos “divertidas” para só então abrir as portas.

Esteja certo de uma coisa, se você quer mesmo empreender tem de se acostumar a deixar a preguiça e as barreiras de lado. Proatividade é a alma do negócio! E, vale lembrar, que se tem uma área da qual não se deve desgrudar os olhos essa área é a financeira, afinal, se ela for mal todo o resto também irá.

Por isso, meu caro, não brinque em serviço. Observe o mercado, a concorrência e busque aprender com os erros deles. Faça diferente, faça melhor e vá mais longe!

Falhas comuns na gestão financeira

erros gestao financeira

1. Não registrar e analisar todas as operações: O que entra, o que sai, o que se deve, quando um pagamento feito a prazo vai “cair”, como anda o Fluxo de Caixa? Além disso, você sabe quais são suas despesas fixas e variáveis? Muitas empresas não sabem e se perdem logo no primeiro obstáculo. Sem ter o controle sobre essas e outras informações referentes às operações realizadas fica inviável fazer qualquer planejamento e até mesmo honrar com todas as obrigações.

2. Não ter controle sobre o estoque: Um dos fatores que compõe os preços dos produtos colocados à venda é o estoque. Mas sem saber a quantidade estocada de um mesmo item, sua data de validade e o espaço disponível para receber novos artigos, entre outros detalhes, corre-se o risco de definir uma precificação totalmente inadequada e ainda perder mercadoria e dinheiro. Uma boa gestão de estoque faz toda diferença na competitividade do negócio.

3. Misturar finanças pessoais e de outros negócios: Infelizmente isso é muito comum. Empreendedores que possuem duas empresas, por exemplo, tiram quantias de uma conta para aplicar na outra a fim de “tapar buracos” momentâneos. Mas geralmente as coisas se complicam, se misturam e saem fora do controle. O mesmo acontece quando entra em cena as finanças pessoais.

4. Não ter conhecimento sobre custos e despesas: Custos são a soma dos gastos com os bens e serviços que são utilizados para a produção de outros bens e serviços. As despesas, por sua vez, representam o valor empregado nos bens e serviços que são usados para a manutenção da atividade da empresa. Sem ter ciência sobre essas questões não se consegue definir uma política de preços coerente e competitiva, nem fazer economias e planos. Saiba mais no post Qual a diferença entre custo e despesa?.

5. Não contar com um sistema de gerenciamento: Planilhas, pastas, papéis e mais papéis. Para quê? Esse modelo antigo de gestão só torna o dia a dia mais burocrático, lento e cansativo. As informações ficam dispersas, os documentos podem ser perdidos ou roubados, as mesas ficam bagunçadas e as pessoas ficam à beira de um ataque de nervos. Há uma série operações e transações financeiras para controlar, são muitos detalhes! Sem um bom sistema gerenciamento fica difícil dar conta de tudo. Perde-se muito em praticidade, tempo e eficiência.

Você já cometeu ou comete algum desses erros na sua gestão financeira? O importante é identificar o problema e tomar uma atitude para corrigi-lo com prontidão. Vamos lá, ainda está em tempo!